alert-erroralert-infoalert-successalert-warningbroken-imagecheckmarkcontact-emailcontact-phonecustomizationforbiddenlockedpersonalisation-flagpersonalizationrating-activerating-inactivesize-guidetooltipusp-checkmarkIcons/Communication/USP/Cash-deliveryIcons/Communication/USP/Delivery-eveningIcons/Communication/USP/Delivery-same-dayIcons/Communication/USP/Delivery-storeusp-deliveryIcons/Communication/USP/Exchangeusp-free-returnsIcons/Communication/USP/Gift-cardIcons/Communication/USP/KlarnaIcons/Communication/USP/Salearrow-backarrow-downarrow-left-longarrow-leftarrow-right-longarrow-rightarrow-upbag-activebag-inactivecalendar-activecalendar-inactivechatcheckbox-checkmarkcheckmark-fullclipboardclosecross-smalldownloaddropdowneditexpandhamburgerhide-activehide-inactivelocate-targetlockminusnotification-activenotification-inactivepause-shadowpausepin-smallpinplay-shadowplayplusprofilereloadsearchsharewishlist-activewishlist-inactivezoom-outzoomfacebookgoogleinstagram-filledinstagrammessenger-blackmessenger-colorpinterestruntastictiktok-defaulttiktoktwittervkwhatsappyahooyoutube
adidas
adidas / junho 2020
Huelo Dunn-Estébanez

PRIDE 2020: NA ADVERSIDADE, O AMOR UNE-NOS

Por mais de cinquenta anos, a celebração do Pride para as comunidades lésbicas, gays, bissexuais e transgénero tem sido uma demonstração de amor e solidariedade contra a homofobia e a opressão.

Este ano, a história do Pride é oportuna uma vez que coincide com uma pandemia global e um movimento contínuo pela justiça social. Para as pessoas de cor e indígenas da comunidade LGBTI+, a luta pelos seus direitos sempre esteve ligada com a luta contra o racismo institucional. Esta é a oportunidade para mostrarmos solidariedade para com as vítimas de discriminação, de ouvir e partilhar as suas vozes e de nos unirmos ao movimento pela justiça. Membros da comunidade LGBTI+ da adidas juntaram-se virtualmente para celebrar o Pride e para partilhar as suas histórias de como o amor une as pessoas.

O mês do Pride é muito importante para mim, porque posso honrar os meus antepassados e aqueles que me precederam e que lutaram pelo meu direito de ser forte, de ser eu mesma sem desculpas.

Quinn Edlin, poetisa "slam" e ativista, ela.
 
 
1_BlogImage_QuinnEdlin

Na adidas, acreditamos que o amor une.

O Pride 2020 representa todos os atos de amor que reforçam a comunidade LGBTI+, principalmente nos tempos mais difíceis. Queremos lutar contra o apagamento da história que indígenas e pessoas de cor (BIPOC) enfrentaram, tanto dentro do movimento LGBTI+ como para além dele. Juntamente com os nossos parceiros, Athlete Ally e Stonewall, estamos comprometidos em amplificar as vozes BIPOC LGBTI+ no nosso trabalho conjunto.

Neste mês do Pride, juntamo-nos a atletas e apoiantes na comunidade intersexual, organizações parceiras e outros para partilharmos histórias reais de inspiração, solidariedade e autoexpressão.

Ligamo-nos de muitas formas, através de videochamadas e sessões fotográficas no FaceTime, transcendendo os limites, literais e figurativos, para juntar os nossos atletas e aliados adidas em todo o mundo.

A última coisa que quero fazer é forçar-me a entrar numa caixa. Gostaria que as pessoas se afastassem do estado em que o mundo se encontra neste momento, e que pudessem aprender que é inútil tentar adaptar-se a sistemas obsoletos, que já não funcionam

Tarik Carroll, fundador do EveryMAN Project, ele

2_BlogImage_Tarik

JUNTOS NISTO — MESMO QUE AFASTADOS

Ally é um verbo. É fazer uma escolha ativa ao defender outras pessoas, ouvindo sempre as comunidades que defendes. Significa interceder quando precisas, como eliminar a linguagem homofóbica e os estereótipos de género, por exemplo. Como aliado, estás a assumir um papel ativo no apoio a essa comunidade e depois ampliar o que estão a fazer.

-Layshia Clarendon, Layshia Clarendon, basquetebolista da WNBA para os New York Liberty, ela. Fotografada com a esposa, Jessica.

3_BlogImage_Layshia

Para quem enfrenta a homofobia e outras formas de discriminação, o Pride começou como um ato de amor desafiador. Agora, cinquenta e um anos depois da revolta de Stonewall, os indivíduos LGBTI+ continuam a combater a desigualdade e enfrentar novos desafios. A pandemia do coronavírus está a mudar a forma como estamos presentes uns para os outros. Os confinamentos, o distanciamento social e o isolamento podem ter efeitos particularmente graves nas comunidades intersexuais, muitas das quais já eram negligenciadas ou ignoradas antes desta crise.

O Pride 2020 também está a acontecer no meio de um movimento contínuo pela justiça social e racial, expresso na recente onda de manifestações em massa nos EUA e em todo o mundo. Aqueles de quem falamos deram voz a muitos outros, quando falaram sobre as interseções entre racismo, homofobia e opressão de todo o tipo.

Neste 51º aniversário do Pride, para a comunidade intersexual, ainda há muito a fazer e novos problemas para enfrentar. Apesar de as celebrações do Pride parecerem um pouco diferentes este ano, continuam tão assentes no amor como sempre.

Quando penso no Pride, penso no Black Pride. Veres-te refletido noutras pessoas e saber que, num mundo e num momento em que tantas identidades estão a ser questionadas, censuradas e apagadas, podemos conceder espaço como este sem comprometer a nossa cor de pele ou orientação sexual. Isto é Pride para mim.

Kai-Isaiah Jamal, artista e ativista, ele ou eles.

4_BlogImage_Kai

Celebramos o Pride amplificando as vozes da comunidade LGBTI+ no mundo do desporto. Homenageamos todos os que se assumiram anteriormente, que sacrificaram e lutaram para as gerações seguintes possam viver de forma mais aberta e com mais liberdade. Celebramos na esperança de uma comunidade mais segura e mais inclusiva para lésbicas, gays, bissexuais, transgéneros, intersexuais e não-binários.

A conversa #LoveUnites é onde vamos partilhar histórias do Pride de todos os cantos da comunidade LGBTI+, para realçar a diversidade de identidades e vozes que o amor une.

O Pride continua a ser o espaço seguro para seres quem és, mesmo que o faças virtualmente.

Madonna Cacciatore, diretora-executiva do LA Pride Festival and Parade, ela. Fotografada com sua esposa, Robin. 

5_BlogImage_Madonna

PARCERIAS NO PRIDE

O desporto é suposto unir as pessoas. É uma ferramenta para juntar as pessoas independentemente da orientação sexual, a etnia, a raça, a cor, o género; seja qual o caso: o desporto existe para nos unir.

Ashlyn Harris, futebolista da NWSL pelos Orlando Pride, ela. 

6_BlogImage_Ashlyn

Agora, mais do que nunca, estamos empenhados em aumentar a visibilidade da comunidade intersexual e a aceitação no mundo do desporto, e em melhorar o acesso ao atletismo e ao fitness para pessoas LGBTI+ de todas as idades, interesses e capacidades. Apesar de o desporto ser uma força para a união, os atletas intersexuais ainda sofrem de discriminação e muitas pessoas LGBTI+ ainda lutam para obter acesso e aceitação nas comunidades atléticas.

Espero que um jovem que esteja a começar a mergulhar, que se possa sentir ligeiramente diferente, possa ver que pode ser quem é e continuar a ser um dos melhores mergulhadores no mundo se trabalhar o suficiente. Quem amas não vai afetar o teu desempenho.

Tom Daley, mergulhador olímpico, ele

7_BlogImage_TomDaley

Estamos muito orgulhosos por apoiarmos grupos e organizações que estão a trabalhar para a igualdade, a aceitação e a representação de pessoas LGBTI+ no desporto, particularmente das comunidades BIPOC. Conhece melhor estas parceiras: 

Stonewall UK: a principal instituição britânica de solidariedade social para a igualdade de lésbicas, gays, bissexuais e transgéneros, a Stonewall UK pugna pela igualdade de representação de pessoas lésbicas, gay, bissexuais e transgénero em todas as comunidades, incluindo no desporto e no fitness. Sabe mais com a Stonewall a respeito de estratégias para tornar as comunidades atléticas mais seguras e mais inclusivas. 

Athlete Ally:enquanto organização não-lucrativa nacional que trabalha na intersecção do desporto e da igualdade LGBTI+, a Athlete Ally acredita que o desporto vai mudar o mundo quando aceitar e empoderar todas as pessoas. Temos muito orgulho em apoiarmos os seus esforços por educar os aliados e instituições a respeito da construção de uma cultura mais inclusiva dentro das suas comunidades atléticas.

O meu trabalho como defensor dos direitos LGBTI+ não se concentra apenas nisso; também dou importância à igualdade social e à equidade salarial entre as mulheres e minorias. E tenho de continuar a pressionar em todos os aspetos que afetam não só as pessoas que se parecem comigo, mas principalmente as que não se parecem.

Ashlyn Harris, futebolista da NWSL pelos Orlando Pride, ela.


MOSTRA O TEU ORGULHO: A COLEÇÃO ADIDAS PRIDE

Fomos ensinados durante tanto tempo que os homens só podem usar certas coisas, e as mulheres só podem usar certas coisas, e eu cheguei a um ponto em que joguei todas as regras pela janela fora. Foi aí que assumi a minha autenticidade.

— Tarik Carroll, fundador do EveryMAN Project, ele. 

A coleção adidas Pride celebra a auto-expressão em várias formas. Nas ruas e no jogo, o estilo pessoal é uma das formas de nos expressarmos e, até, de nos libertarmos. Acreditamos na celebração da inclusão e na disponibilização de uma plataforma para subgrupos marginalizados na comunidade LGBTI+. A coleção deste ano celebra o Pride com mais do que apenas um arco-íris, apresentando um novo logótipo que incorpora muitas cores de uma vasta seleção de bandeiras LGBTI+.

A luz no fim do túnel é que esperamos que isto cause uma mudança nas consciências. E, esperamos que no Pride do próximo ano, tenhamos um mundo mais luminoso e mais leve, que defenda a aceitação.

— Tarik Carroll, fundador do EveryMAN Project, ele. 

Convidamos-te a celebrar o Pride connosco fazendo o que quer que te faça sentir em ligação, com alegria, união e orgulho. Segue a adidas nas redes sociais para acompanhares as histórias e sabedoria da nossa comunidade Pride e partilha as tuas histórias de como #LoveUnites. 

adidas / junho 2020
Huelo Dunn-Estébanez
Tags